O Que É Ser Barista

Todo mundo acha que barista é a pessoa que trabalha em um bar, pela etimologia da palavra, até que faz muito sentido e de certa forma é, mas barista é a pessoa capacitada para trabalhar com café e extrair uma xícara gostosa (é bem mais do que saber fazer ‘aqueles desenhos com leite’), é quem entende de moinho, granulometria, quantidades, temperaturas e claro, pó de café.

As mãos por trás do café

É a pessoa que sabe usar muito bem o café como um ingrediente, que faz um leite vaporizado (que é bem diferente de ferver o leite), que sabe de harmonização de sabores e se preciso consegue criar receitas novas.

“Ah, mas é só tirar um cafezinho ali!” Não fala assim como se fosse muito simples. Essa profissão ainda não é tão reconhecida aqui no nosso país, o que faz o trabalho de um barista ficar muito escondido. A mão do barista faz toda diferença na extração de um café.

Você sabe quem faz seu café na sua cafeteria favorita? Troca uma ideia com essa pessoa, tenho certeza que ela vai adorar compartilhar contigo algumas informações do café que ela usa e que você tanto gosta de tomar. Dê créditos para as cafeterias que tem na equipe baristas trabalhando, experimente as opções do cardápio e sempre que quiser tire suas dúvidas sobre o que você está tomando.

Mas e como faz para ter a formação necessária para ser um barista? Existem algumas certificações que são provenientes de cursos de no máximo uma semana. Normalmente os cursos são divididos em módulos: iniciante, Intermediário e avançado. Esse tipo de capacitação precisa ser presencial, a parte metodológica é fácil de ler, mas aplicar isso na prática é desafiador se a gente pensar que cada café reage de um jeito diferente.

VOCÊ SABIA?

Você pode fazer um curso com a gente aqui em São Paulo!

Temos uma equipe de professores incríveis e para o de Barista iniciante

tem mais 3 turmas até o fim desse ano, clica aqui para saber mais

e reservar sua vaga com a gente!

Para Comprar Café

Como você está aqui no nosso site já sei que não compra qualquer café no mercado do lado da sua casa, e bem provável que se está no trabalho e pega um café na lanchonete faz careta pelo gosto desagradável que tem. Mas você tá esperto com todas as informações das embalagens que realmente fazem a diferença no sabor e na qualidade de um bom café?

GRÃO OU MOÍDO

Dar preferência para moer na hora é muito importante para evitar a oxidação e o envelhecimento do pó, na hora de comprar escolha os grãos ou pegue uma pequena quantidade do café já moído, o suficiente para fazer duas vezes talvez. Aqui no nosso site temos conjuntos de triturador e pacotinho de café.

DATA DA TORRA

Um café gostoso é um café fresquinho, não só por ser coado na hora, mas por ter sido torrado antes de três meses e depois de cinco dias. Esperar uns cinco dias da torra é necessário pela liberação do CO2 que amarga o café, e consumir antes de três meses para não esperar o café ficar velho, tudo altera sabores.

TIPO DE EMBALAGEM

Sabe os cinco dias que citamos ali? É importante empacotar o café depois de umas longas horas de descanso pós torra, a liberação de gases é intensa e se empacotamos instantaneamente depois de torrado e o pacotinho não tiver válvula, é arriscado que exploda. A válvula, que muitas vezes usamos pra sentir a fragrância do café, é na verdade um dispositivo para liberação de gás carbônico proveniente da torra.

E mais um detalhe tão importante quanto: por dentro da embalagem ter uma proteção laminada, para não ter contato direto ou com o plástico ou com o craft previne de contaminar com outros cheiros e gostos.

 

VOCÊ SABIA?

O design de nossas embalagens foi planejado para prolongar

todo o potencial do café e para chegar até você na mais alta qualidade possível.

Moa o café na hora e faça o café.. um gole chama outro gole, não é mesmo?

Aproveita e faça parte do nosso clube (:

Diário de Bordo #1

Por onde Hugo Wolff está andando para buscar os novos cafés da safra para daqui a pouco serem apreciados por todos nós?

-Araponga, MG, Serra do Brigadeiro – Região isolada

Primeira parada: uma fazenda de tirar o fôlego, com mais de 30 anos plantando café. O seu Edio e a dona Aparecida nunca tiraram férias e hoje os filhos trazem as boas ideias do pós colheita dos cafés especiais e criaram a associação da região de Arapongas. Na mala temos amostras de 6 famílias, muito bem pontuadas.

-Alto Jequitibá, MG, Sítio Vargem Grande – alto, bem alto, com 1200, 1300m de altitude

O Renato, filho da Maria Aparecida e do Alipio, é mais um exemplo da nova geração incentivando a produção dos cafés de alta qualidade, inspirados por esse novo caminho, desde 2010 estão dedicados a achar maneiras de criar cafés maravilhosos.

Nesta safra Hugo escolheu 3 amostras promissoras (dentre elas, 2 que dona Maria inscreveu em concursos) das 7 recebidas.

-Caparaó, ES, parque do Pico da Bandeira

Lugar alto, frio, terroir que favorece a qualidade por si só, imagina com um pós colheita adequado. Temos cafés dessa região desde 2015, a excelência dos cafés é surpreendente.

No domingo, 9, os produtores convidaram o Hugo para participar de um cupping em Guaçuí, cidade próxima, dalí já saímos com mais amostras e mais promessas de bons resultados para nossos pacotinhos.

Na segunda, 10, já foram feitas mais algumas torras e algumas outras visitas a produtores queridos (Zé Homero, Graciano, Josimar, Adalson, Nel Protázio).

Nossa busca, passo a passo, porteira a porteira, famílias que viram amigos, é infinitamente prazerosa, e assim seguimos pensando nas xícaras que vão acompanhar nosso dia a dia.

Campeonato de Aeropress

Amanhã, em Brasília, na cervejaria Criolina, teremos a quarta edição do Campeonato Nacional de Aeropress. Opa, mas o que é uma Aeropress? Para muitos baristas é o método mais legal de fazer café pela versatilidade que ela tem. Imagina uma injeção, é quase igual! Tem um êmbolo e um suporte, e se você pressionar vai fazer uma certa pressão, e dali vai filtrar um cafezão.

 

 

Para a Aero podemos usar filtro de papel ou metal (tem gente que faz até sanduíche de filtros), diferentes granulometrias para o pó, brincar com tempo de infusão e reação do processo de filtragem. Se a Aeropress fosse uma pessoa ela seria do tipo que todos nós sonhamos em ser, dos mais completos, sabe falar pelo menos duas línguas, entende de relacionamento social, é simpático e divertido, faz parte de vários grupos de estudo, tem tempo para os amigos e familiares, sabe cozinhar, dá conta das atividades da casa, tá sempre sorrindo, e faz tudo bem feito. Essa é a descrição, e de tudo o que você tentar fazer com a Aeropress as chances de dar saldo positivo são muito altas, quer ter a sua? Clique aqui.

Ela é de plástico, fácil de carregar na mochila e em viagens, vai do coado ao espresso, das intensidades, dos sabores e aromas mais variados, e esse é o mais legal: no campeonato todos recebem o mesmo café e o que faz um ficar mais gostoso que o outro, e passar pra próxima fase é a receita elaborada pelos participantes. É exatamente essa regra: os jurados vão escolher o mais gostoso da rodada.

Apresentada a Aero e o campeonato, o melhor desse post é que vamos deixar aqui a receita do campeão do ano passado, o Leonardo Gonçalves, do @cafeaoleu, do Rio de Janeiro, para você testar em casa a dele e criar as suas, porque a melhor forma de entender sobre café é tomando, né?

 

 

VOCÊ SABIA?

A Aeropress foi desenvolvida por designers que pensam com

praticidade queriam uma dose que coubesse na caneca e nada mais. 

Ela nasceu em 2005, dentro de uma empresa de brinquedos, a Aerobie, a mesma que criou

os frisbies, e com meses de nascida já ganhou o coração de baristas e coffeelovers do mundo todo.

 

 

.

Campeonatos de Café

 

Uma xícara reúne pessoas por tantos motivos que as vezes nem pensamos que tem ciência e comprometimento em cada detalhe, e tem muita gente envolvida mesmo, como meta de vida profissional.

No Brasil ainda é bem recente esse tipo de evento, ou melhor, o café está se tornando um assunto sério no nosso país só agora. Na cafeteria, enquanto a gente ta lá, nem pensamos em quantas variáveis podem influenciar na qualidade final do que bebemos, e em lugares que tratam o café de forma especial pode ter certeza que o jeito de tirar um espresso, ou preparar um coado, envolve muito estudo e técnica adequada.

E como funciona um campeonato? Normalmente o barista faz café e tem algumas regras a serem seguidas, ou a gente torra, ou apresenta um drink, ou faz cupping, depende de qual modalidade é o da vez. Parece fácil né? Tudo visto de longe parece simples mas, se você parar para ver um vídeo no YouTube, ou ler as regras do que consistem as provas vai entender que para um trabalho bem feito se gastam muitas horas de treino constante.

Veja aqui mais sobre o campeonato de barista mundial

Um campeonato no mundo do café envolve critérios que até ontem a gente nem imaginava: muita química e ciência, disciplina e concentração, que normalmente só quem participa começa a perceber. Nesses eventos (sejam regionais, nacionais ou mundiais) temos a interação e integração dos profissionais com diferentes metodologias. Participar de um campeonato é expandir conhecimentos, encontrar pessoas novas, divulgar o universo do café e imergir em adrenalinas.

Uma vez assistindo ou participando, a procura pela xícara perfeita é infinita, e move, todo ano, cada vez mais gente, cada vez mais café gostoso e sempre, sempre, sempre muita pesquisa. Todo mundo é bem vindo para se encontrar, juntar para tomar café, trocar experiência e torcer.

 

VOCÊ SABIA?

Esse ano o nosso país vai ser a casa de quatro campeonatos mundiais:

World Coffee In Good Spirits, Latte Art, Brewers Cup e Cup Tasters,

durante o evento mais importante do ano, a Semana Internacional do Café (SIC)

de 7 a 9 de novembro, em Belo Horizonte.

Nós, da Wolff estaremos com um stand lá, vamos?