Receitas Mais Pedidas

Semana passada fizemos um review dos lotes novos que estão disponíveis no nosso site, e soltamos uma enquete pra saber quais as duas receitas mais pedidas por vocês pra gente passar aqui no blog, e ter a melhor experiência com a nossa curadoria. Pela votação no Instagram os cafés ganhadores foram o W1 Sítio Serrão feito na Melitta e o WR Fazenda Volta da Serra na V60, os dois de Piatã.

Lote Sítio Serrão W1

Chegamos em receitas primorosas, que exalam o melhor e seduzem mais em cada gole: SPOILER! Um pacotinho só vai ser pouco depois de você reproduzir e tomar uma xícara… Você vai pedir baldes e baldes desses cafés especiais vindos do Olimpo.

Dito isso, não nos resta nada além de compartilhar o passo a passo. Vamos? Preparados? Então pegue seu método, seu pacotinho, e segura essa:

  • Coloque sua música favorita pra tocar

Vamos começar com o WR Fazenda Volta da Serra na V60

Separe 16g e moa na granulometria média fina, vai lembrar uma farinha de rosca, sabe?

Arrume o filtro, dobre, encaixe. Pegue a jarra, ou o recipiente que você vai coar, sua balança e o timer.

Pegue a sua chaleira com água fervendo, escalde tudo e jogue essa água fora. Coloque e café e arrume o pó da melhor forma possível no filtro.

Faça uma pré infusão (ou bloom) prolongada, coloque 30g de água e espere 50 segundos.

Primeiro ataque de água vá até os 90g de água, em movimentos circulares e sem muita turbulência.

Espera cair tudo, deixe toda a água passar e dai coloque novamente, com os mesmos movimentos circulares até o 135g.

Espere cair toda a água mais uma vez e continue até 180g.

Com a mesma calma espere cair tudo, e finalize sua em 230g de água. Com o timer em 04:25min.

Espere até a última gotinha cair.

Retire o V60 de cima da jarra e balance para homogeneizar a bebida. O aroma floral vai estar bailando pela cozinha. A perda de temperatura vai trazer uma doçura que faz salivar de tão gostosa e a lembrança do curau de milho vai ficar evidente.

Nossa dica é: sirva em uma xícara mais aberta, nossos copinhos são perfeitos para isso, pois o aroma desse café é parte revigorante dessa extração.

Café é multissensorial, aproveite esse WR para ter a experiência que um Lote Raro pode te proporcionar em um momento todo seu, aprecie sem moderação e se possível compartilhe com alguém que é especial para você!

WOW! Ainda não acabamos!

Agora é a vez do W1 Sítio Serrão na Melitta

Quando você arrumar a mesa, pegue o Melitta e encaixe o filtro, não esqueça de dobrar as beiradinhas nas riscas. E quero te propor uma ideia aqui, o que você acha de, na hora que você for posicionar o seu Melitta em cima da sua jarra, ao invés de colocar ele com a asa perpendicular à você, vire ele, e coloque o Melitta de forma que a asa fique direcionada na sua frente. Vai dar uma sensação que está errado, ninguém faz assim, mas juro, a forma como você vai jogar a água vai fazer diferença sim, e pra melhor!  

Pegue seu pacotinho e separe 19g. Moa mais fino que o v60, mas só um pouquinho mais fino.

Faça o bloom com 35g e mexa o porta filtro por 40 segundos durante essa pré infusão. Turbulência mesmo, pra ajudar a liberar os gases e deixar a doçura desse caramelo se manifestar totalmente.

Então coloque a água até o 190g, fazendo movimentos zigue zagues, que acompanhem o desenho do porta filtro. Faça mais lento, num fio de água bem controlado. De um respiro de 20 segundos e volte ao zigue zague, completando a extração com 250g e 02:45min.

Essa xícara é a companhia perfeita para acompanhamentos, o café vai ter corpo e doçura de caramelo característicos do que há de mais gostoso na nossa linha W1.

Faz aí na sua casa e conta pra gente! Afinal, compartilhar é bom demais!

Lotes Novos

Quem quer café novooo? Tem cafés novos nos pacotinhos para você! Novas delícias pra gente compartilhar e sempre um mar de sabores e aromas diferentes e entre todos, quais escolher? As duas opções de cada linha estão renovadas, vamos falar de cada um pra você escolher seus preferidos e ser feliz!

um mundo de café fresquinho saindo do torrador

Nossa linha para o dia a dia: W1 dessa leva são todos da Bahia, de Piatã, da variedade Catuaí 144

1ª opção Sítio Serrão (Caramelo)

Produtor Alrey Alves de Almeida

Método testado: Melitta. Um café doce, doce, doce, uma extração que favorece um corpo mais denso é o ideal. Um café que harmoniza bem com leite, pra esse frio é uma ótima escolha. Vai ficar incrível na Moka/Italiana.

2ª opção Sítio Santana 2 (Baunilha)

Produtor Alex Sandro Silva Santana

Método testado: Aeropress. Infusão de 1 minuto e meio. Baunilha presente em todos os momentos, desde moer o café a gente sente a delícia que é esse café. O espresso dele promete!

Nossa linha com sabores e aromas elaborados: W2 aqui temos Minas Gerais no melhor estilo

1ª opção Sítio do Café

Produtor José Evangelista Pereira, de Manhuaçu. É um Catuaí Amarelo.

Esse café foi o oficial que a gente usou na Copa Koar e na Copa Melitta durante a Rota da Cafeína em Brasília. É um café que tem uma acidez bem pronunciada, citricidade de frutas laranjas, merece carinho ao ser extraído para balancear com a doçura presente nesse grão.

2ª opção Sítio Baixão da Serra

Produtor Delmar Benelli, da cidade de Caldas. É um Catucaí Vermelho.

Frutas vermelhas. Esse café no espresso fica encorpado e explosivo, se eu fosse você experimentaria!

Nossa linha de lotes raros: WR e aqui voltamos a uma nova imersão em Piatã de novo!

1ª opção Sítio Malhada

Produtor Eudival Souza Cunha, da Chapada da Diamantina. É um Catuaí Vermelho.

Método testado: Prensa Francesa. Realçou a doçura do mel e as especiarias parece que amortecem a boca, sensação elegante de um café que merece ser apreciado em um momento especial de verdade.

2ª opção Fazenda Volta da Serra

Produtor Agnaldo Assunção, de Piatã. É um Catuaí 144.

Método testado: Hario V60. Que aroma, que café! Pra quem gosta de um espresso espetacular, fica a dica!

Semana do Meio Ambiente

Estamos na Semana do Meio Ambiente!

Já te contamos que agora nas nossas embalagens você encontra o selo Eureciclo, e que estamos participando dessa corrente do bem para conseguirmos reciclar a mesma quantidade em massa e material, gerados a partir do descarte dos pacotinhos vazios Wolff Café. Quer ler mais sobre o selo? Clica aqui!

Campanha Eureciclo sobre a semana do meio ambiente

Um dos maiores desafios do nosso país nesse momento é justamente a separação do lixo. Tudo o que vai para o lixo é que a gente quer descartar, e a nossa ideia de jogar fora quando acabamos de usar nos faz colocar no lixo coisas que, as vezes, não ficaram nem 5 minutos nas nossas mãos. Nós não pensamos muito nisso mas nosso lixo é rico.

Por exemplo: “Segundo dados do Banco Mundial, mais de 2,4 milhões de toneladas de plástico brasileiro são descartadas de forma irregular, sem qualquer tipo de tratamento, em lixões a céu aberto. Outros 7,7 milhões de toneladas vão para  aterros sanitários. E mais de 1 milhão de toneladas sequer são recolhidas pelos sistemas de coleta.” Essa matéria é da revista Galileu sobre um relatório da WWF informando que nós, Brasil, somos o país que menos recicla.

O problema não é consumir, o problema é o fim indevido que esses resíduos estão tendo.

A verdade é que estamos citando um dos problemas – o plástico – e ele não desaparece do meio ambiente. Nós nos distanciamos desse problema porque ao jogar no lixo a gente não sabe pra onde ele está indo, e o impacto ambiental que estamos causando. Nossas leis são falhas e a maneira que encontramos para combater esse problema é nos unindo alternativamente, por isso a Eureciclo é tão importante pra nós!

Durante essa semana estamos juntos com a campanha do meio ambiente criada por eles, que é o seguinte: o desafio do ano é incentivar a reciclagem através da hashtag #EuCuidoDoMeuLixo onde consumidores e marcas engajadas no selo podem mostrar nas redes sociais como fazem o descarte correto dos resíduos.

Essa hashtag busca criar uma grande corrente de sustentabilidade e cuidado com o nosso planeta, afinal somos todos responsáveis pelo nosso bem estar. Você separa o seu lixo? O orgânico, o papel, o vidro, o plástico? Você sabe das ações que as pessoas da sua cidade estão promovendo pra diminuir os impactos? Use a hashtag #EuCuidoDoMeuLixo e a #desafioeureciclo e faça parte dessa mudança com a gente!

Quando começou a ter essa tal da Análise Sensorial?

Esses dias eu estava em uma cafeteria e me peguei ouvindo a conversa de clientes, ao dar um gole no café um deles perguntou ao outro: “mas desde quando isso existe? A gente toma café há tanto tempo e só agora eu vejo profissionais conversando sobre sensorial de um grão. O que é que esse povo descobriu dessa 

Coador em cima da roda de sabores

 

A análise sensorial não tem nada a ver com essências de sabor que podem ser adicionadas a alguma bebida. Tudo o que falamos, quando nos referimos ao paladar no café é simplesmente provocado pelas condições de genética, condições climáticas, solo e processamentos do fruto.

O sensorial do café nasceu quando percebemos que se desenvolvermos torras de diferentes níveis conseguimos provocar reações químicas que se transformam em sabores delicados ou intensos.

Foi quando entendemos que torrar café não é queimar e carbonizar os grãos, e beber café passou a ser agradável de verdade, instigante e um mundo de sabores foram descobertos pelas xícaras de cada país produtor.

Importante pensar que a elaboração da Roda de Sabores de 2016, pela WCR – The World Coffee Research – junto da SCA demorou a ser feita, e foi por um trabalho sério de pesquisadores que eles separaram 110 indicadores de qualidade, formatados de dentro pra fora em níveis de especificidades, então encontramos descritivos ruins e bons. Esse material tentou unificar os diversos sabores que podemos encontrar em amostras ao redor do mundo.

Café sendo coado no Arame

Todos os sabores que existem em uma xícara estão ali? Não! Tem muitos indicadores que não existem na roda mas que são presentes na xícara, frutas específicas e de origem principalmente.

É complicado identificar, mas quanto mais a gente prova mais fácil vai sendo. E aí? Já tomamos um café hoje?

Coado no Pano

Esse não é mais o mais comum, mas com absoluta certeza o coador de pano é o mais tradicional jeitinho de passar um café no Brasil.

Coador de pano com café passando

O curioso é que esse método nunca está nas cafeterias de café especial e mal é falado pelos baristas… Calma, fica triste não. O pano começou a ficar de lado e a gente vai te explicar o porque. E vamos fazer um resgate, dar uma moral, e tentar fazer um café terceira onda nesse método que precede todo e qualquer café especial.

O que acontece nesse método?

Uma extração de café é, resumidamente, a liberação de óleos que, pela água quente, a parte hidrossolúvel dispersa através do tempo de contato com o pó. Os baristas não usam o coador de pano porque ele é feito com uma malha muito grossa, e acaba retendo os óleos que escorregariam para a xícara, que em sua grande maioria, é o que formaria os sabores complexos da bebida. E é aí que mora o caos, porque as características da terceira onda é sobre sensorial, sobre extrair o extraordinário do que o grão pode oferecer.

E já que o pano não pode oferecer múltiplas nuances sensoriais na xícara ele foi deixado de lado, e todo mundo começou a falar do V60. E a usar o papel, que retêm bem menos óleos que o pano, e a xícara se apresenta de forma limpa e agradável, cheia de sabores.

Alguns baristas dizem que o pano deixa flat. Dizer que um café está flat quer dizer que temos uma bebida simplificada, normal, sem graça talvez. Se você procura por sensorial diferenciado, e acha que um café não pode ter só gosto de café, o pano não é o suficiente. Mas gente, essa busca por sabores não é regra, e sim! o coador de pano pode extrair um café gostoso e honesto!

Uma dica valiosa é: escolha um café doce para usar no coador de pano, um W1 é uma ótima pedida. E se você gosta desse método, não se sinta excluído do universo dos especiais.

E toda extração pode ser bem feita se a gente aprende sobre granulometria. O nível de extração pode ser medido pelo tempo que o pó de café fica em contato com a água, e quanto mais fino o pó, mais resistência a água vai encontrar pra descer e achar um caminho entre as partículas. Se o coador de pano já nos oferece uma malha grossa, o pó de café precisa ser moído mais grosso. Caso contrário tem altas chances da gente amargar o resultado e o tempo de extração se prolongar demais, criando aquela poça em cima.

Se você se preocupar com esses detalhes temos certeza que seu café vai ficar gostoso, cheiro e o pano vai te surpreender! Aproveita pra fazer um café para os seus avós e reunir a família no fim de semana.

Depois de cuidar do tipo de café a ser escolhido, da granulometria e do tempo de extração, saiba cuidar bem do pano, outra crítica dos baristas é que o pano é o ambiente perfeito para proliferação de bactérias e vai ficando inutilizável com o passar do tempo. No post sobre limpeza de métodos tem informações importantes sobre como cuidar dos seus métodos favoritos.

Até a próxima e ótimos cafés!

Limpar o Moinho

Todo barista tem um pincel na cafeteria, e ele serve pra limpar o filtro da máquina de espresso, além de um paninho no bolso, pra tirar os resíduos. E quem faz café em casa precisa de um pincel? Segura essa dica de ouro:

Mesa com utensílios de café coado

A limpeza dos utensílios para fazer café é de extrema necessidade para continuarmos tomando nossos cafés deliciosos, e sempre que a gente pensa em limpeza, pensamos rapidamente em enfiar embaixo da água e usar a bucha e o sabão para lavar tudo.

Para os métodos de extração que usamos em casa é exatamente assim que devemos pensar, logo após fazer café, descarte o pó e tire todo o óleo que grudar, com água e sabão neutro, e deixar secar. Daí já estará pronto pra próxima vez que precisar usar.

Mas, quem mói café na hora não pode aplicar essa regra. Pro moinho funciona diferente e jogar água nele não é o recomendável. Vamos voltar uns anos atrás?

Quando você era criança e brincava com lápis de cor, lembra que não deixavam você jogar água no apontador pra limpar ele? Porque a lâmina não seca direito e acaba ficando danificada, daí acaba que ao invés de apontar o lápis ele começa a mascar, e não demora muito pra você precisar comprar outro. Lembra disso? Já aconteceu com você?

No café, no caso do moinho, é o mesmo pensamento. E usar um pincel para limpar o pó que ficou grudado é a melhor opção para manter funcionando por anos e anos. Sempre que trocar de café principalmente, limpe bem para que os perfis de cada um não se misturem. E, bem, não jogue água na lâmina.

Ótimos cafés pra você (:

Clube de Café Wolff

Receber em casa os cafés mais gostosos separados pela nossa curadoria? Nosso Clube, também chamado por nós de Alcateia, é uma opção para você descobrir o Brasil cafeeiro sem sair de casa e poder fazer os cafés do seu jeitinho preferido (:

Caixas empilhadas do clube de café wolff

É certo que vai ser a caixinha mais cheirosa que o carteiro vai entregar, e você sabia que ao se cadastrar no nosso Clube você pode selecionar suas preferências? Além de poder curtir nossos grãos cuidadosamente selecionados, torrados e embalados por nós, você consegue personalizar o atendimento da forma que mais vai atender suas expectativas, e te proporcionar as experiências de acordo com o que você mais gosta de encontrar!

Você consegue optar por:

Período pelo qual deseja assinar

Você quer receber a caixinha todo mês por quanto tempo? Apenas um mês pra saber como funciona? Pode! Ou trimestral, semestral ou quer fechar o ano recebendo cafés gostosos? Todos os planos tem sua renovação automática pelo nosso sistema, dai você fica tranquilo de verdade.

Linha que deseja receber

Temos disponíveis no nosso site as linhas do W1, W2, WR e a divertida WX, que a linha e o lote a serem enviados serão sempre uma surpresa, escolhidos todos os meses pelo nosso Mestre de Torra.

“Ah, mas receber só 250g pro mês inteiro não dá né?!” Hehehe fica tranquilo que a quantidade a ser enviada também pode ser definida por você!

Escolha entre 250g, 500g ou 1kg.

Atenção! Em qualquer uma das suas preferências, essa quantidade chegará até você por pacotinhos de 250g, para manter a qualidade e o potencial dos grãos.

E gente, com isso facilita você fechar o Clube com um amigo, ou dar de presente pra alguém, ou levar seus cafés pra onde você quiser e precisar. A gente sabe e te garante que sem café você não fica!

E ainda tem a possibilidade de complementar a sua assinatura da maneira que preferir, seja com um método ou acessório novo. Fica esperto: um adendo importante é que as assinaturas só podem ser pagas com cartão de crédito.

E a melhor parte vem agora:

Motivos irresistíveis

Com a adesão do Clube você consegue descontos progressivos no preço dos cafés, e também ganha descontos especiais na compra de acessórios no nosso site (os valores dependem de acordo com o plano escolhido – quanto maior a recorrência do plano, maior o desconto aplicado). Fazendo parte da Alcateia você também terá acesso a uma diversidade maior ainda de lotes do que os disponíveis no e-commerce, e recebe em primeiríssima mão as novidades de lotes novos que chegam até nós.

Ainda está com alguma dúvida?

Manda email pra gente atendimento@wolffcafe.com.br

Projeto EURECICLO

Pro meio ambiente não importa de onde aquela embalagem veio. Importa é que ela existe e polui. E seria muito incoerente não nos preocuparmos com os resíduos que geramos. Nós, que trabalhamos com café, que rastreamos todo o processo, que temos contato direto com produtores e sabemos o quanto a natureza é necessária para nossa existência. Não é uma questão só de bem estar, é uma linha lógica para nossa sobrevivência.

Embalagens dos Cafés Wolff

Estranho seria carregar tanta história de pessoas que admiramos, e espalhamos com tanto carinho nos nossos cafés e xícaras, sem pensar no impacto imenso gerado a partir das embalagens de cada pacotinho que vendemos no nosso país.

O uso irresponsável dos recursos naturais nos preocupa, estamos vivendo um mundo de esgotamento. E por mais lindo que seja trabalhar com coisas naturais, sabemos que nossa embalagem é difícil de ser desintegrada e reintegrada à natureza. Para garantir uma ótima qualidade do café que você compra conosco, precisamos de um pacote resistente, próprio para preservar os grãos no potencial máximo que ele pode ter.

Não está certo prezar por tanta qualidade, e não nos preocupar com o que nossos pacotinhos são responsáveis em termos de desequilíbrio e aumento do lixo.

A gente sabe que é clichê, mas nosso maior carinho que é também nossa paixão (o café) só vai continuar existindo, e nos encantando, se nos habituarmos a uma vida mais sustentável. Por todos os caminhos que escolhemos andar, nós acreditamos que podemos fazer diferente, e nossa preocupação é também sobre o lixo que a gente faz você descartar.

Nossa responsabilidade socioambiental é com você, com nossa cadeia produtiva, com nossos parceiros, com todos os seres vivos e as futuras gerações do nosso planeta. E é por isso que nas nossas embalagens você encontra esse selo:

Selo Eureciclo

O que é a Eureciclo? E o que ela faz?

Ela é uma empresa preocupada com o meio ambiente. Esse selo da Eureciclo certifica a compensação ambiental das embalagens das empresas credenciadas gerando incentivo para a cadeia de reciclagem. Como? Ela financia a reciclagem em quantidade proporcional em massa e material gerados ao volume total de embalagens que colocamos no mercado.

Somos parceiros nesse projeto e estamos fazendo parte de uma série de incentivos à cadeia de reciclagem para elevar as taxas de reciclagem do lixo urbano no nosso país.

A Eureciclo faz parte de um movimento de mudanças significativas e de diminuição de impactos agressivos sobre um dos assuntos mais complexos de nosso tempo: o lixo.

E o nosso café tem esse sorriso! Acompanhe esse projeto nas redes sociais, existem mais de 800 marcas brasileiras parceiras.

E a Colheita Começou

Ah Brasil! A melhor época do ano é agora, é a safra. A colheita do café em muitos lugares já começou e em outras regiões está se aproximando. E esse mistério de tudo o que influencia no sabor da sua xícara também está ligado às formas de colher desse fruto.

Pé de café com frutos madurinhos

A qualidade da bebida é relacionada a uma colheita dos frutos maduros, quanto mais frutos maduros ou “cerejas” mais chances de termos uma bebida agradável ao paladar.

Os frutos do cafezal nem sempre ficam maduros de uma vez só e uniformemente. Podem ocorrer várias floradas que são desencadeadas de acordo com a quantidade de chuvas. Daí por isso fica complicado colher apenas os frutos maduros de um galho, dá trabalho, as vezes dá um trabalhão na verdade.

Difícil dizer que só os produtores que colhem à mão fazem um bom trabalho. Depende, porque nem sempre esse tipo de colheita é seletivo de fato. A colheita seletiva é bem feita quando conseguimos separar os diferentes frutos, e se possível só colher os que estão realmente maduros.

Curioso pensar que as máquinas as vezes fazem um papel tão positivo quanto as mãos, basta pensarmos na intensidade que elas vão passar balançando os pés de café: os frutos mais maduros são menos resistentes e mais fáceis de se deslocarem da planta.

No fundo, o que mais importa é não misturar os frutos em diferentes momentos de maturação no mesmo terreiro para secar: separar os verdes, os cana, os maduros, e os passas é o que gera qualidade final, que pode ser intensificado com os mais variados tipos de processamento do fruto.

Esse café gostoso que você acha aqui com a gente, ele recebe esse tipo de cuidado pra mais!

E veeeem safra nova! Estamos imaginando tudo o que vem por aí e é cada pensamento que a gente não consegue nem resistir. Enquanto isso, já tomamos café hoje?

Bolo de Chocolate e Café

É Páscoa, mil ovos de chocolate esbarram nas nossas cabeças enquanto andamos no supermercado mas… Cade o café? E se formos pra cozinha fazer uma coisa diferente, reunir a família, surpreender com coisas gostosas é sempre tão gostoso, né?

A gente pensou e chegamos na conclusão de que o café não pode ser só o acompanhamento perfeito da Páscoa (e de todos os outros dias), não é o suficiente. Então adaptamos! Vamos dar uma leve modificada na receita de um bolo de chocolate molhadinho por dentro, que é gostoso demais.

Peneirando chocolate em pó em cima do bolo de chocolate

E se a gente adicionar café nessa receita? OPA! Dá certo, você precisa experimentar!

Para começar, escolha um café básico, que harmonize bem com outros ingredientes, a nossa sugestão é o W1 (qualquer um dos dois dessa linha, tá?). Escolha um método de infusão para preparar apenas 100ml. Para esse bolo eu fiz com a Prensa Francesa, segue a receita:

 

25g de café moído em uma granulometria média

Aqueça a água e desligue quando ferver

Pegue a Prensa e coloque o pó e faça uma pré infusão de 45 segundos

Complete com água até chegar a 120ml

Espere 2min e abaixe o êmbolo

Pegue uma caneca, tare a balança, coloque 20ml

Esses 20ml é pra você tomar enquanto prepara a receita do bolo (:

Coloque o que resto em uma caneca e reserve.

 

Para o bolo você precisa de:

 

Batedeira

Forma de silicone (a minha é daquelas redondas, use uma que vc gostar que não seja muito grande)

2 xícaras (chá) e meia de farinha de trigo com fermento

1 xícara de leite

O café que a gente fez

1 xícara de açúcar

180 gramas de manteiga sem sal

4 ovos

1 xícara (chá) e meia de chocolate 70% cacau em pó

 

Ponha tudo em cima da mesa e de mais um gole no café, ele tem que estar bem forte, não podemos colocar em proporções mais diluídas porque se não ele vai sumir com os outros ingredientes. Fiz essa receita com espresso mas não gostei do resultado, se quiser experimentar e falar da sua percepção pra gente, seria lindo! Mas vamos pro modo de preparo:

É suuuper simples e rápido, ligue o forno e deixe pré aquecendo a 170 graus.

Pegue a batedeira e coloque primeiro a manteiga e o açúcar, e acrescente os ovos aos poucos.

Por último coloque a xícara de leite, o café e a farinha.

Bata até ficar homogêneo e brilhante.

Passe a massa para a forminha de silicone e leve ao forno por 40min.

Use o garfo para ver se, depois de 40min, o bolo ficou pronto. Se não deixe mais um pouquinho.

 

Sinta esse cheirinho e não resista!